UM CONTRA O RESTO


Todos sabemos que para cada ação existe uma reação.

Chamamos isso de relacionamento. E todo relacionamento é composto por duas partes.

No universo organizacional isso não é diferente.

E nesse caso, toda ação gera um resultado.

É óbvio que planejamos as ações e as executamos para que o resultado seja o desejado, mas isso nem sempre acaba acontecendo.

Nessa hora, identificamos que houve uma falha na execução da ação e, por mais avançada e autônoma que possa ser a tecnologia, sempre há a intervenção humana.

No fim das contas, houve erro de alguém.

Seja qual for a posição ocupada no organograma, as relações serão sempre entre líder e liderado ou entre pares.

Então, um deles errou.

E quando um erro é levantado em uma situação, tendemos a duas saídas:

procurar desculpas ou indicar o outro como responsável.

Ficando com a segunda alternativa, não nos damos conta de, se uma relação qualquer é composta por duas partes, a responsabilidade ser 100% do outro.

Beautiful stylish staff sitting in the office at the desk using a laptop and listening to a

Ela pode ser até de 99%, mas nunca total.

Sendo assim, sempre haverá uma parcela de responsabilidade em algo que é minha.

E a mim, de modo a me desenvolver, tanto pessoal, mas sobretudo profissionalmente, cabe questionar e identificar o que eu fiz ou deixei de fazer para isto acontecer.

Não há caminho para eu conseguir aquilo que está fora de mim, sem antes olhar para dentro de mim.

Essa é uma regra de ouro nas empresas e na vida! 

Leia também o artigo da consultora Érika Benites: CONHECENDO SUA EQUIPE


Alexandre Klein.
Consultor Associado do Grupo Scalco.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

: