SAINDO DA SALA: O EFEITO SOMBRA

Quando eu era jovem e trabalhava no comércio, vez ou outra o dono da empresa aparecia no departamento onde eu atuava.

Até hoje não sei se ele ia fiscalizar se estávamos trabalhando realmente, se estávamos fazendo gracinhas durante o expediente ou outra razão, só sei que o apelidamos de “Sombra”.

Hoje isso me faz refletir sobre a importância do gestor circular nos ambientes de trabalho justamente com esta intenção, monitorar se as pessoas estão realmente exercendo suas atividades e o quanto estão produzindo.

suspicious young man with binoculars spying through blinds

A simples sensação que os colaboradores têm de que a qualquer momento podem ser surpreendidos pelo gestor os coloca em estado de alerta para não relaxarem na execução de suas funções.

É o mesmo que você cruzar numa estrada com um redutor eletrônico de velocidade indicando 40 km/h e que aparentemente está desligado. Na dúvida, você reduz a velocidade. É isto que faz o efeito “sombra”.

Mas este efeito não pode ser gerado apenas por uma pessoa circulando pela empresa.

Ele deve ser gerado pelo claro desenho dos processos e sua mais clara ainda comunicação aos integrantes do time, para daí serem aplicados instrumentos de monitoria de performance.

Isto é o que vai colocar luz nas ações dos colaboradores e projetar as sombras, ou não, de seus resultados.

Caso contrário, a empresa estará na escuridão!

Leia também o artigo da Consultora Érika Benites: A SUA EMPRESA ENCANTA O CLIENTE?

Alexandre Klein.
Consultor Associado do Grupo Scalco.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

: