Por que eu não consigo sair do lugar?

Como conseguimos saber se estamos com dificuldades de avançar na vida?

Esse texto é para aqueles que há anos desejam ter um comércio próprio, para os que querem ter um sono bom, aprender a dizer não, mudar a alimentação, receber um salário melhor, fazer atividade física, alavancar a carreira, reservar dinheiro… e não conseguem.

Aqui vai o porquê de você não avançar na vida:



O motivo pelo qual não conseguimos avançar na vida é porque ninguém nos ensinou a lidar com nossas emoções.

Tivemos aula na escola ou na faculdade sobre como lidar com o medo? Com a tristeza? Com a raiva?

Ninguém nos ensinou isso. Todos nós somos analfabetos emocionais.

Não temos inteligência emocional.

Comportamo-nos verdadeiramente como crianças.

Ficamos “de mal” com namorados, maridos, esposas… e isso é coisa de criança porque adulto senta, dialoga e resolve.

Alguns ficam tanto tempo emburrados que nem lembram o motivo do estresse.

Falta de maturidade.

É importante aprender a lidar com as emoções, pois emoção vem de emotion (em movimento).

“A emoção é combustível da ação”.

Se não aprendemos a usá-la, ficamos sem ação e a vida não avança.

A solução passa por dois passos:

1. Compreender o sentido das emoções.

2. Aprender a lidar com as emoções.

Não é à toa que existem pessoas paralisadas que só dormem, trabalham e assistem televisão esperando o dia 30 chegar.

Essas pessoas não vivem, apenas carimbam seus caminhos.

Não sentem que tem um casamento bom, não enxergam seu potencial no trabalho. São pessoas sem combustível porque fogem dele.

Não querem estar tristes, não querem ter medo e nem sentir raiva porque quem sente raiva é louco, quem sente tristeza é preguiçoso e quem sente medo é covarde.

Ninguém quer ter esses três sentimentos.

Mas é impossível não sentir medo, tristeza e raiva.

Tudo que vêm de Deus é bom.

O sentimento é algo que nos foi dado para podermos fazer algo com eles.

Vista lateral, de, um, despreocupado, homem, desfrutando, liberdade, com, braços outstretched

Uma história que eu compartilhe no feed do meu instagram na semana anterior:

Uma menina estava brincando com seu cachorrinho, saiu na rua para conversar com uma amiguinha e voltou para dentro.

Ela pegou uma flor que estava pelo caminho, esqueceu o portão aberto, o cachorro escapou e foi atropelado.

Quando a mãe chegou em casa, a menina estava profundamente triste e não parava de chorar.

A mãe diz: “Minha filha não fique triste” (99% dos pais fariam a mesma coisa).

É chocante dizer isso para alguém que teve uma perda, visto que, não há outra coisa a se fazer.

Negar isso não nos faz bem, pois mentimos para nós mesmos que estamos bem e comemos demais, bebemos demais, brigamos demais.

Nós desaprendemos a viver o luto.

Deus nos deu sentimentos porque eles têm funções.

Não existe sentimento ruim, apenas sentidos de maneiras disfuncionais.

O medo nos foi dado para podermos tomar cuidado.

Se não sentíssemos medo não nos protegeríamos, é nosso aliado.

Na tristeza devemos nos recolher e nos permitir sentir a dor da alma.

A mãe da história deveria ter acolhido sua filha e legitimado a dor dela, com isso ela aprenderia a cuidar melhor das coisas que ama.

A tristeza é educadora, basta sentir.

Ao negar a raiva e tentar afastá-la as pessoas perdem o domínio e ferem e agridem os outros.

Raiva é algo que sentimos quando acontece algo que não gostaríamos. A raiva é um energizador.

Nós não nos cuidamos, não aprendemos com nossos erros e estamos numa vida medíocre.

Por isso nossa vida não avança, porque não vamos atrás do combustível da ação (emoções).

Como teremos força para agir sem saber lidar com as emoções?

Reflita sobre isso!

Leia também: PERGUNTAS & RESPOSTAS SOBRE CONSTELAÇÕES FAMILIARES

Forte e carinhoso abraço!

Sobre o autor:

Marcel Scalcko ajuda as pessoas a viverem mais leve e realizar muito. É mentor há 24 anos. Já treinou mais de 110.000 pessoas. Descreveu as 9 Leis da Vida. Há mais de 30 anos estuda com os melhores mentores e treinadores do Brasil, Alemanha e Estados Unidos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

:
× Tenho dúvida