Pais e Filhos: Ocupem seus Lugares

Imagina comigo como funcionaria se os pneus de um carro estivessem no motor e o motor estivesse no lugar dos pneus? 

Imagina como funcionaria o corpo humano se os braços estiverem nos lugar dos pés e se os pés tivessem no lugar dos braços?

Será que seria o melhor funcionamento ou este corpo estaria significativamente atrapalhado? 

Como seria se o teclado e o mouse de um computador estivessem dentro da Cpu e o disco rígido tivesse no lugar do teclado?

Conseguimos fazer esse computador funcionar?

É absurdamente lógico que não.

É absolutamente simples.

Nem o animal mais poderoso do mundo, nem o carro mais avançado, nem o ser humano mais inteligente e amoroso conseguem sobreviver ou funcionar sem uma organização.

Assim como as coisas têm o seu lugar, como os animais têm o seu lugar na natureza, nós temos o nosso lugar no nosso sistema familiar. 

E é nesse lugar que devemos ficar.

Fora do nosso lugar ficamos em condições péssimas.

E eu quero te ajudar a entender se está ou não ocupando o seu lugar.

Por isso te pergunto:

É papel de quem mostrar que o comportamento do outro está equivocado? Dos pais ou dos filhos?

Este é o papel dos pais.

Você tem tentado mostrar aos seus pais que eles estão errados? Tem procurado dizer qual é o caminho certo?

Se você está entre os 95% dos seres humanos que estão fora do seu lugar, afirmo que SIM, você tem tentado mostrar aos seus pais, vivos ou não, em pensamento ou palavras, que eles estão errados.

Esse não é seu papel.

-“Ah, mas meus pais fazem coisas erradas, fazem coisas que prejudicam a saúde”.

Não importa. Tentando provar algo a eles, você acaba de se tornar os pneus dentro do motor, acaba saindo do seu lugar.

Fora do seu lugar você perde força, energia, conexão, clareza, autodomínio, centramento, alegria de viver.

E quero perguntar mais uma coisa a você: é papel de quem pedir ajuda para quem? É papel dos pais pedirem ajuda para os filhos ou dos filhos pedirem ajuda aos pais?

Saímos do nosso lugar várias vezes quando pedimos ajuda, aprovação, elogios, reconhecimento para os nosso filhos ao invés de perdir aos nossos pais.

É papel dos filhos pedir ajuda aos pais, estando eles vivos ou não, pois o mundo psicoemocional e espiritual não tem não a ver com presença física.

Então se conecte com seus pais, vivos ou mortos.

Temos expectativas que os nosso filhos nos ajudem. Alguns pedem literalmente que os filhos intercedam perante os outros filhos. Algumas mães perguntam para as filhas se estão bonitas.

-“Ah, mas isso é uma bobagem Marcel, não faz mal”.

Se fosse só isso não teria problema, o problema está na expectativa por detrás disso: que as crianças nos deem aquilo que os nossos pais não nos deram, que é uma visão distorcida da realidade.

Quem deveria estar ansioso por ser amado, reconhecido, valorizado pelo outro? Quem deveria buscar ser elogiado pelo outro?

Os pais deveriam buscar elogios por parte dos filhos? Ou os filhos que deveria buscar elogios e reconhecimento por parte dos pais?

Se você não estiver dominado pela sua mente, que mente, perceberá que, muitas vezes, busca ser reconhecido pelos seus filhos.

Sim. Está precisando loucamente do amor dos seus filhos.

Escuta bem: os pais não precisam do amor dos seus filhos.

Os pais precisam do amor dos seus pais.

Provavelmente agora você está se debatendo com essas verdades, discordando dessas verdades, mas isso não faz mal.

Já estou há mais de 23 anos nesse caminho e sei perfeitamente como ajudar as pessoas. Além de ter, na nossa empresa, um alto nível de fidelidade dos clientes que sempre voltam porque mostramos como fazer algo transformador para as suas vidas.

Você pode questionar:

-“Ah, mas e meus netinhos, como ficam?”

Seus netinhos têm os melhores pais que eles podem ter.

-“Ah, mas meu filho vai passar necessidade”

Imagina depois que você não estiver mais vivo?

A pergunta a ser feita a todo momento é:

Eu sou o que nessa relação? Isso me cabe como pai? Isso me cabe como filho?

Se não cabe, acabou. Você sabe qual é o papel do pai e qual é papel do filho.

Mas é claro que você está todo emaranhado psicoemocionalmente.

É claro que você está cheio de crenças limitadoras.

É é por isso que precisa de ajuda.

Então a minha dica, para finalizar, é:

Faça treinamentos, meditação, yoga, vá ao educador físico, faça tai chi chuan porque todo esse conjunto de mecanismo vai ajudar você a entrar no seu eixo aos poucos.

Forte e carinhoso abraço!

Sobre o autor:

Marcel Scalcko atua com desenvolvimento de pessoas há mais de 22 anos. Guiou mais de 50.000 pessoas para uma vida mais leve e realizadora.

Após construir uma vasta experiência no campo do desenvolvimento humano, observou e documentou as 9 Leis da Vida e transformou esse conhecimento em um treinamento imersivo e único no Brasil.

É especialista em técnicas e procedimentos de desenvolvimento psico-emocional, como as constelações familiares e empresariais, que procuram guiar pessoas e organizações ao seu máximo potencial.

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é telegram_horizontal-2.png
  1. Equipe Grupo Scalco disse:

    Gratitude! keep following us

  2. Equipe Grupo Scalco disse:

    Gratitude! keep following us

  3. Equipe Grupo Scalco disse:

    what joy!!! keep following us

  4. Equipe Grupo Scalco disse:

    what a joy to know!!! Gratitude

  5. Equipe Grupo Scalco disse:

    what joy!!! Gratitude

  6. Equipe Grupo Scalco disse:

    Gratitude! Keep following us

  7. Equipe Grupo Scalco disse:

    Gratitude! Keep following us

  8. Equipe Grupo Scalco disse:

    what a joy to know!!! Gratitude

  9. Equipe Grupo Scalco disse:

    Alive!!! Gratitude!!!

  10. Equipe Grupo Scalco disse:

    What a joy! Gratitude!

  11. Equipe Grupo Scalco disse:

    Alive!!! Gratitude!

  12. Equipe Grupo Scalco disse:

    Alive!!! Gratitude!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

: