OS 4 PASSOS PARA TER A VIDA DOS SEUS SONHOS

Ao longo desse meu caminhar, observei e observo pessoas cansadas com a realidade de suas vidas, pessoas que sentem um vazio sem saber o motivo, pessoas que perderam-se de si, pessoas infelizes em seu trabalho ou casamento, pessoas doentes e ou com alergias sem diagnóstico, pessoas que não conseguem realizar seus sonhos…

Em todos os casos, algo em comum: todos extremamente dedicados, mas mesmo assim, não desfrutam um “vidão de verdade”.

Onde estará a solução?  Tudo começa em nós! Nós somos os responsáveis pela realidade que vivemos. Habita em nós um diretor, um roteirista, um protagonista e até mesmo um coadjuvante. E quando permitimo-nos  acessar esses personagens, usufruímos da vida que desejamos. 

O primeiro passo é decidir viver um vidão de verdade. Mas não esqueça! Eu só indico o caminho, pois só você pode realmente decidir e fazer o movimento necessário.  Uma frase linda que aprendi e me acompanha diz: “Não existem derrotados, só existem desistentes”. Logo, um vidão de verdade só é construído por pessoas que não desistem e isso mostra que seu maior desafio é você mesmo e, juntamente a isso, ir até o final…concluir sempre suas ações.

O “Diretor” da própria vida é aquele que decide, pois não tem como ser bem sucedido sem tomar decisões.

E atenção! A qualidade da decisão não é proporcional ao tempo da tomada de decisão,  ou seja, demorar para decidir não é segurança que tudo dará  certo.  Adiar a ação, os movimentos, vem do medo de errar, mas ao não decidir, a vida não anda e assim,  muitos ficam paralisados na fantasia de que seria possível não decidir. 

Não  acredite na sua mente que mente, que você não está decidindo, pois você está decidindo não decidir. E assim, acaba por decidir jogar fora todo seu potencial,  perder dias da sua vida, adiar sonhos, sacrificar seu viver, sua carreira, e até mesmo seus filhos. Permanece na ilusão de que não decidiu,  busca culpados e aproveita esse momento para culpar a pandemia ou o coronavírus. Tenha consciência de que vida é dor! Ou você tem a dor de decidir ou a dor de não decidir, mas só decidindo sua vida anda e tem sentido. 

Assuma agora um compromisso com você e decida! Diga pra você: Eu decido decidir. Pois você é o diretor da sua vida e quando não dirige sua vida, quando não decide sua vida, a vida decide por você, seu chefe decide por você, seu marido decide por você, seus filhos decidem por você… Só que eles dão o rumo que querem . Como tarefa, permita-se e tome agora uma decisão significativa, algo grande, difícil, que dê medo, algo que tem adiado. Faça algo por você! Assuma o controle da sua vida!

Quando o diretor aparece, junto a ele surge o roteirista, um ser criativo que, muitas vezes, por medo de errar e de sonhar estava escondido, isso  acaba por dificultar a visualização do caminho desejado e dos desejos possuídos.

O roteirista é aquele que constrói as estratégias e, algumas vezes, pode aproveitar-se até mesmo da loucura, pois já diz outra frase que trago comigo e que foi libertadora para mim: “Sem loucura não há grandeza”. A partir  de agora, sua tarefa será a de criar formas e atitudes detalhadas para realizar o que foi decidido e  permitir-se passar por louco para viver o seu vidão de verdade.

O próximo passo para ser o é  despertar mais um dos personagens, aquele que é o papel principal da história: o protagonista e permitir-se confiar em si.

Observe e responda: Qual a única coisa que tira a nossa autoconfiança? A resposta está em olhar para o que não conseguimos fazer, para o que não foi possível. Logo, o segredo está em fazer o contrário, devemos observar em nosso viver os vários momentos exigentes que passamos e que conseguimos dar conta, nossas conquistas e vitórias.

E o mais bonito é que junto a isso podemos observar a única pessoa que esteve presente e que nunca nos abandonou. Verá que esta pessoa é você mesmo. Então lembre-se disso: você nunca se abandonou, portanto, merece sua confiança e merece ser o protagonista da sua vida.

Para concluir, faz-se necessária a presença do “coadjuvante”, aquele que trará paz ao seu viver, pois é através dele que será  organizada a ordem do que irá olhar e cuidar primeiro, suas prioridades no momento vivido.

Esse papel mostra que em alguns momentos ou situações da sua vida, você não dará conta de tudo, que não é um super-herói, ainda mais que a vida de um super-herói é muito triste e sofrida, pois não importa o que ele faça, não salvará o mundo.

Ao observar o coadjuvante, vemos o quanto nossa mente é exigente, ela quer tudo ao mesmo tempo, tudo para ontem… mas chega um ponto que de tanta exigência ” trava”, paralisa e, assim, do desejo de fazer tudo, acaba por não fazer nada. Então, temos como próxima tarefa observar nossa vida e decidir quais desejos serão, neste momento, coadjuvantes, para que  em um momento oportuno sejam olhados novamente, tudo a seu tempo.

E assim seguimos, utilizando todos esses personagens a nosso favor, em busca do nosso vidão de verdade.

Leia também o artigo: A FALSA SÍNDROME DO NINHO VAZIO

Se ajudei você, deixa eu saber, comente aqui.

Forte e carinhoso abraço!

Sobre o autor:

Marcel Scalcko ajuda as pessoas a viverem mais leve e realizar muito. É mentor há 24 anos. Já treinou mais de 110.000 pessoas. Descreveu as 9 Leis da Vida. Há mais de 30 anos estuda com os melhores mentores e treinadores do Brasil, Alemanha e Estados Unidos.

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é telegram_horizontal-2.png

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *