MINHA EQUIPE NÃO SE COMPROMETE

Qual é a sua tendência? Delegar a responsabilidade? Encontrar culpados? Ou, como diz um amigo meu: “a culpa é minha, portanto, coloco-a em quem eu quiser” Rsrs.

Brincadeiras à parte, é muito sutil a diferença, algumas vezes. Vamos conversar, então?

Sei que você pensa: “eu assumo a responsabilidade” e, talvez, você já esteja pensando em abandonar o artigo agora, mas será que assume mesmo?

Então, lhe convido a ficar no celular lendo comigo e pensar em seus liderados. Está comigo?

Em muitas vezes, quando converso com líderes, percebo o quanto temos a tendência a delegar a responsabilidade sobre os resultados.

Falamos coisas como: o fulano não se compromete, não presta atenção, não faz o que pedi, os outros são desatentos, descompromissados, o cliente não tem dinheiro, enfim, são muitos exemplos.

Talvez não esteja errado dizer isso, pois, em alguma medida, existe a hipótese de serem assim. Mas o que mais me chama a atenção é: “eles.. eles.. eles”, sempre são os outros, como se fosse um vício dizer isso. Raramente ouço: “eu não dei feedback sobre x”, ou “eu dei um feedback muito duro no fulano”. Percebe a diferença neste jogo de palavras? Acredito que consegui agora ser mais claro.

Sim, são pessoas maduras que assumem a responsabilidade e, talvez, mais do que isso, pessoas “maduras emocionalmente”, pois é muito duro assumir que errou, principalmente, em público. Isso é um exercício de responsabilidade.

Business executive owner criticizing workers for corporate problem failure

Como assim, exercício? Com o passar do tempo, assumindo as rédeas da carreira, você não somente realiza escolhas e toma decisões, mas também, assume as consequências delas, aceitando-as como suas e tomando novas decisões para corrigir, manter ou melhorar o percurso.

Assim, quando não acontece o que você quer, toma ações sobre elas, sendo desta vez o protagonista da história e não a vítima de uma equipe descomprometida.

Nossos “olhos só enxergam o que está do lado de fora”, ou seja, vemos os erros e acertos de todos a nossa volta, conforme nosso julgamento, mas raramente vemos os nossos.

E esse é o convite desse artigo. Ou talvez, o espelho que lhe pergunta: que imagem você está transmitindo para as pessoas? A de um líder responsável ou a de um buscador de culpados?

Leia também o artigo: METAS: VOCÊ ESTÁ ESQUECENDO DE ALGUÉM?

Um forte abraço,

Vinícius Nunes.

Consultor associado do Grupo Scalco.
Consultor Empresarial e Mentor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

: