METAS: VOCÊ ESTÁ ESQUECENDO DE ALGUÉM?

Cada vez que acompanho mais empresários, gestores, vendedores em todos os seus níveis, percebo que o mais importante não é a meta, mas sim o acompanhamento das metas.

Em muitas das reuniões, mentorias e conversas que tenho, são na linha de levar o cliente a ver o que ele realizou até agora, o que faltou e quais ações serão tomadas daqui para frente.

No GAP – Gestão de Equipes para alta performance, método criado pelo Grupo Scalco há mais de 24 anos, temos um princípio que se chama Marcação Cerrada.

É, justamente, o que mais sinto falta em muitos líderes.

Vejo-os definindo metas de longo e curso prazo, diversos indicadores de desempenho, gráficos belíssimos com resultados, produtividade média por dia e mês, comparativos mês a mês, comparativo com os anos anteriores, resultado crescendo, subindo cada um em sua situação específica.

É belíssimo de ver o controle que certas empresas têm sobre seus números financeiros e gerenciais. Confesso que sempre que converso com elas, sendo seu “consultor”, a bem da verdade é que, quem mais aprende sou eu, pois é incrível nossa habilidade de melhorarmos em relação a nós mesmos. Vejo que essa é a provocação que faço ao entrar nas empresas, do tipo: esse é seu resultado, qual seu objetivo em relação a ele no próximo mês? Onde você irá melhorar?

Business people discussing about new enterprise

Os líderes que estão abertos a aprender tanto quanto eu, absorvem essa provocação simples e, mais do que isso, fazem algo útil com ela, colocando em prática ações que definimos juntos ou separados, não importa! O que importa é que se movem e, ao fazer isso, movem seus subordinados, sim os esquecidos.

Esquecidos?!

Tenho visto setores e pessoas de níveis mais baixos hierárquicos nas empresas não sabendo como estão indo. Ninguém lhes dando feedback com certa frequência, seja por falta de tempo ou qualquer outro motivo, que são desculpas por uma falta de planejamento.

Apresente números, dados e fatos, pois se não fizer isso, na cabeça deles, a empresa está ganhando milhões e eles uma “mixaria”, fazendo cálculos brutos de receita e superfaturando a realidade da empresa. Sem isso, só cobrar não irá resolver.

Assim, a Marcação cerrada, analogia ao futebol que usamos, é a provocação que lhes faço hoje. Qual a frequência com que você para e se reúne com sua equipe para informá-los como estão indo?

Diária, semanal, quinzenal ou mensal? Se for mensal, agora você sabe por que não bate suas metas.

Eles só vão saber que precisam melhorar se você informar isso a eles! Faça com frequência, objetividade e os resultados virão até você.

Leia também o artigo da consultora Érika Benites: RECONHECER E DESCONFORTAR

Um forte abraço,

Vinícius Nunes.

Consultor Empresarial e Mentor.
Consultor associado do Grupo Scalco.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

: