Depressão: Um novo olhar

Se você tem sentido solidão, depressão ou até mesmo, muita tristeza, fica comigo até o final deste artigo, pois eu posso te ajudar.

Eu tive a honra de observar e descrever 9 Leis, Leis que denominei como: Leis da Vida.

3 delas explicam com primazia, precisão, com absoluta eficácia, a origem da tristeza, da dor profunda, da depressão e da sensação de solidão:

Ouça o texto:

Vida é Presença nos ensina que devemos ficar no aqui e agora e experimentar vivenciar tudo que a vida nos apresenta.

A vida nos apresenta muita tristeza, perda, e nós não fomos educados para respeitar a Lei da Vida: Vida é Presença.

Então, em todos os momentos da nossa vida, quando a tristeza chega, utilizamos mecanismos psíquicos de defesa, como mudar de assunto, ou mecanismos externos para nos defender, como tomar uma cervejinha.

E nós vamos guardando, guardando tristeza, até que em dado momento ficamos congelados.

O nosso núcleo psicoemocional e espiritual foi ensinado, treinando, pela família, pela escola, pela empresa, pela sociedade, por nós mesmos para não sentir.

É impossível não sentir os sentimentos, porque sentimentos precisam ser sentidos e ponto final.

É impossível represá-los, conte-los como se fosse uma barragem, pois essa barragem por ser finita, um dia transborda.

Quando essa barragem transborda de tristeza, nós somos pegos por uma imensidão de tristeza, por uma tristeza incompreensível, por uma sensação de profunda solidão e de arrebatadora depressão.

Tudo porque não nos ensinaram a ficar e sentir os sentimentos que muitos de nós estão tomados e nem conseguem explicar.

Por outro lado, muitos ciclos não foram concluídos. Tudo que nós experenciamos em nossa vida precisa ter início, meio e fim.

Existe uma Lei que nos mostra isso, a Lei da Vida: Vida é Conclusão, que nos demanda, que nos exige, que nos força a concluir.

E todos os momentos difíceis da nossa vida, que nós lutamos para não passar, que fugimos, damos uma curva neles, ficaram sendo para nós: ciclos não concluídos.

E a vida nos chama para concluir esses ciclos.

Nos chama, forçosamente, para sentir: a perda daquele namorado que fizemos de conta que não doeu; a dor do luto da mãe que não sentimos e para isso fomos trabalhar no outro dia; a dor profunda da perda de um emprego; a dor da perda de um bebê que não pôde nascer…

Mas nós vivemos na cultura do remedinho para dor. Na cultura do antidepressivo. Na cultura da comida farta e anestésica.

Nós não queremos concluir ciclos. Queremos passar para o próximo momento da vida. Mas a vida nos chama para vive-la por completo.

A outra Lei que nos ajuda a passar por esse momento de tristeza, solidão e depressão, é Vida é Concordância.

Lá atrás não pudemos dizer SIM para o que estávamos passando. Lá atrás não pudemos dizer: Eu não posso sentir outra coisa agora além da tristeza.

E agora lutamos arduamente para não sentir a tristeza.

Lutando com todas as nossas forças para, mais uma vez, dar curva na solidão e na depressão.

Ao mesmo tempo, a pesar de termos a necessidade de presente ficar e sentir o que vier, dizer um sim e concordar, existe uma vida acontecendo lá fora.

Temos nosso trabalho, nossos filhos, nosso marido ou esposa, uma vida para tocar.

E isso gera um conflito muito grande.

“Como eu posso sentir tudo isso se preciso sorrir para os meus clientes, para meu marido e meus filhos?”

Por isso eu quero dar uma dica muito importante.

Para ativar a vida ativa, plena, de movimento no mundo externo e ao mesmo tempo ter a saída, o recurso, a alternativa de nos encontrarmos com esses sentimentos, com esses ciclos não concluídos que estão pedindo para serem sentidos:

Precisamos marcar hora. Isso mesmo!

Façamos o seguinte:

Levantamos, vamos trabalhar, realizamos o que precisa ser feito, e quando chegamos em casa escolhemos um lugar seguro, marcamos um determinado tempo e nos entrega a beleza da dor, porque a dor nos educa, nos forja, nos fortalece. Isso nos ajuda a malhar o nosso núcleo psicoemocional e espiritual para, depois, nos alegrarmos ainda mais com a vida.

Sim! Ao aprendermos a sentir a tristeza, aprenderemos a sentir a alegria, a coragem, a determinação, o contentamento, o bom-humor, o amor profundo, o poder infinito que há em nós.

E o caminho é esse: presente ficar e sentir o que vier.

Dizer um SIM para o que vier. Concluir ciclos e caminhar rumo a uma vida leve, realizadora, absolutamente plena, pois somente as Leis da Vida te libertam para a plenite.

Combinado?

Se te ajudou, compartilha com um amigo.

Leia também o artigo: IMAGINE (E REALIZE) A MELHOR VERSÃO DA SUA VIDA

Sobre o autor:

Marcel Scalcko atua com desenvolvimento de pessoas há mais de 22 anos. Guiou mais de 50.000 pessoas para uma vida mais leve e realizadora.

Após construir uma vasta experiência no campo do desenvolvimento humano, observou e documentou as 9 Leis da Vida e transformou esse conhecimento em um treinamento imersivo e único no Brasil.

É especialista em técnicas e procedimentos de desenvolvimento psico-emocional, como as constelações familiares e empresariais, que procuram guiar pessoas e organizações ao seu máximo potencial.

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é telegram_horizontal-2.png
  1. Sirlene Rodrigues Garcia disse:

    Gratidão ! anjo da jornada terrestre, só tenho que agradecer sempre aprendendo com seus vídeos no YouTube, no instragram, gratidão sempre ????

    1. Equipe Grupo Scalco disse:

      Que alegria saber!! Continue nos acompanhando que temos muito conteúdo rico pra compartilhar. Abração!!

  2. Jere disse:

    I used to be recommended this web site by way of my cousin. I am no longer sure whether this post is written through him as nobody else understand such specific approximately my difficulty.
    You’re amazing! Thank you!

    1. Equipe Grupo Scalco disse:

      Gratidão!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

: