COMO VOCÊ TEM LIDADO COM A “BIRRA” DA SUA EQUIPE?

Um dos nossos princípios do Grupo Scalco que mais causa resistência em nossos clientes é o “Reconhecimento e Desconforto”, não pelo reconhecer, valorizar o time, esse é fácil, mas sim pelo desconfortar, pois é muito comum um funcionário repetir uma tarefa várias vezes de forma “errada” e seus líderes não terem iniciativa de dizer: “não é assim que queremos, você precisa fazer de tal forma”, já que essa ação naturalmente causará um desconforto no liderado, e por vezes nós como líderes não suportamos a “birra” ou “beicinho” dos mesmos.

Hoje vou contar-lhes como eu sou em relação a isso, para mim sempre foi muito fácil ser duro em casa, exigir o certo, corrigir, ser mais frio e transmitir o que é “certo e errado”. Para mim é natural, já que cresci sendo o irmão mais velho e como dizem: “precisamos ser o exemplo”.

Business people in a meeting

Por outro lado, com as pessoas “de fora”, da sociedade, faculdade, treinamentos e até mesmo com alguns clientes, não me sinto confortável, tenho a tendência de bancar o “bonzinho”, afinal sou simpático, carismático e geralmente com sorriso no rosto. Sou otimista, o que fazer?

Mas ser “bonzinho” nem sempre nos ajuda a extrair o melhor da nossa equipe. Acabamos assumindo tarefas que não são nossas, dedicando mais tempo aos outros que à nós mesmos, deixamos de pôr nossos planos em ação, e muito mais.

No início de maio atendendo um cliente, fiquei responsável por apresentar os resultados de abril. Decidi falar sobre o princípio naturalmente competitivos, visando reconhecer e desconfortar, pois havia percebido que alguns times no mês atual estavam no AZUL (realizando muito) e outros no VERMELHO (realizando pouco).

Tive a sensação que alguns times pudessem estar vindo a desmotivar, devido ao tempo de competição, ou pandemia. Então resolvi levar esses números na apresentação para tirar a dúvida.

Apresentei tudo normalmente, destaquei a minha preocupação, minha sensação e não certeza sobre os resultados.

Durante a reunião, um dos coordenadores explicou o que havia acontecido. Os resultados não estavam baixos, ou seja, minha sensação estava errada, mas como consultor, meu papel é checar e ajudá-los da melhor forma possível.

Passou uma semana e alguns times entenderam que afirmei que tais times estavam “desmotivados” e o coordenador estava com a conexão de internet ruim e não conseguiu acompanhar toda reunião, mas sua equipe reclamou e ele veio tirar satisfações no grupo sobre eu ter falado isso e que deveria me retratar com todos na próxima reunião.

Você percebe o desconforto gerado nesta equipe? Pois eu não falei, mas eles entenderam isso.

Conversamos, resolvemos a situação e seguimos. Mas admito que neste dia foi difícil suportar todo esse descontentamento do cliente diante da minha postura de “ser mau”, já que para mim muitas vezes fui o “bonzinho”.

Dois meses após isso ter acontecido, adivinha quem são os times de melhor resultado na competição entre os gerentes? Quais foram os times que mais cresceram em relação a eles mesmos? Sim, isso mesmo, todos aqueles que entenderam que eu havia afirmado que estavam desmotivados.

Agora conte-me: como tem lidados com as “birras” e “beicinho” dos seus liderados?

Um grande abraço,

Vinícius Nunes.
Mentor.
Consultor associado do Grupo Scalco.

Leia também o artigo da consultora Lisandra Moreira: SEJA SEU CEO, SEU MELHOR AMIGO

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

: