Como dizer o que precisa ser dito

Existem N passos para dizer o que precisa ser dito para as pessoas, ou como falamos no ‘mundo empresarial’, dar feedback para as pessoas. 

Hoje eu vou dar apenas 2 passos, e tenho certeza de que, se tu cumpri-los, já vai ser muito mais fácil dizeres o que tu estás pensando e sentido e será muito mais fácil para as pessoas ouvirem o que tu disseste e não entrarem automaticamente e instintivamente num estado de defesa (fuga) ou ataque. 

O primeiro e mais importante passo: Não apontes ou não julgues a pessoa.

Nunca se deve julgar a pessoa, mas sim os fatos.

Não fales de modo que a pessoa ouça que está sendo julgada ou que está fazendo algo de errado. Ou seja, nunca se deve julgar a pessoa, mas sim os fatos. 

Exemplo: o marido corre muito de carro. O normal é a esposa julgar a pessoa, ou seja, dizer que o homem é um irresponsável, que é louco colocar a vida de todos em perigo. 

No exemplo acima, a esposa se concentrou em falar da pessoa, que a pessoa (marido) estava errado. 

Tu queres conviver bem com as pessoas? Sê sincero, mas não fales da pessoa e sim do comportamento dela.

Tu deves estar te perguntando: Tá, mas então como eu falo com o meu marido que parece um piloto de fórmula 1 e corre igual a um doido?

Simples!

Basta falares: Fulano (marido), tu estás a 150km/h.

Pronto, apenas isso por enquanto.

Percebe que, de maneira geral, as coisas de que falamos para as pessoas quase sempre estão na esfera do julgamento e são informações que a outra pessoa já sabe que pode acontecer ou que terão consequências graves.

Não adianta falar para a pessoa que ela é louca por estar andando a 150km/h, que pode matar alguém. Além de tu estares julgando e condenando-a, ela normalmente já sabe disso.

Por isso tu deve falar sobre o fato.

O segundo passo é: Fala de ti diante do fato.

Isso mesmo, fala de ti, como tu estás te sentindo diante do fato.

Pegando o exemplo do motorista, tu completarias as frases falando de como tu estás te sentindo com o fato dele estar a 150km/h.

Por exemplo: Marido, tu estás a 150km/h. Eu tenho muito medo de andar nesta velocidade, fico muito insegura do que pode acontecer com a nossa vida. Eu fico muito incomodada.

Percebe que, neste último exemplo, em nenhum momento a esposa julga o comportamento do marido?

E eu te garanto que isso gera um peso na consciência da outra pessoa que está ouvindo. Porque tu estás falando de um fato (correr a 150km/h) e de como tu estás te sentindo com isso. A outra pessoa fica com o peso de ter o ‘poder de escolher’ o que irá fazer com o sentimento da esposa.

Um outro exemplo: Teu filho tem prova amanhã e não estudou nada. Observa o que uma pessoa que sabe lidar com gente falaria:

  • Meu filho, amanhã tu tens prova (fato) e eu não vi tu pegares o caderno e estudar 10 minutos no dia de hoje (fato). Isso me deixa muito triste (fato).

Como seria com um colaborador que não atendeu o cliente com alegria?

  • Fulano, tu não sorriste para esse cliente (fato), eu fico decepcionado com o teu comportamento (fato).
  • Meu marido, eu fiz a sobrancelha hoje e tu não notaste (fato), assim eu me sinto sem importância pra ti (fato).
  • Minha esposa, tu gastaste além do orçamento este mês (fato), eu fiquei muito triste (fato) e assim fica difícil confiar em ti (fato).

Pronto, apenas isso. Ninguém apontando, julgando, condenando e xingando ninguém.

A outra pessoa não pode controlar os teus sentimentos, por isso, percebe que, quando tu falas de como tu te sentiste, tu estás falando da tua posição. A outra pessoa pode até querer te julgar, mas o sentimento é teu e pronto.

Lembra-te de que onde tem gente, tem conflito, pois as pessoas pensam diferentes, ou melhor, nem sempre concordam sobre tudo.

Então, se tu não quiseres que a relação acabe ou esfrie, tu precisas falar o que tu sentes. E pra dizeres o que tu sentes, tu descreve o fato e fala o que estás sentindo. Nunca atacando o comportamento da outra pessoa.

Abaixo um trechinho onde falo sobre a dica de ouro que pontuei acima.

Assista.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *