Big Brother e colaboradores nas empresas


Quando vejo um programa de reality show como o Big Brother, me pergunto qual seria o comportamento dos participantes se não estivessem sendo vigiados, que é o termo usado no programa.

Para mim as respostas são sim e não. Sim, teriam o mesmo comportamento e não, não teriam o mesmo comportamento. Mas uma coisa é fato: a vigilância altera comportamento.

Mas o que isso tem a ver com o universo das organizações? Absolutamente tudo.

Colaboradores que tem seus comportamentos monitorados acabam executando mais do que aqueles que não têm monitoramento, e, por tanto, geram mais resultados para as empresas em que trabalham.

Ver a imagem de origem

Isso pode ser constatado na prática!

O que muitas vezes acontece é que o termo “monitoramento” é empregado de forma distorcida, relacionado a uma eventual “punição” ao colaborador que não está cumprido os combinados para com a empresa.

Mudando o foco e passando a olhar como “acompanhamento” para uma eventual “correção de rota” para que os processos sejam mais executados, isso muda não apenas a forma como os colaboradores podem ver a medição de seus desempenhos, mas também os resultados por eles obtidos.

Alterar essa perspectiva de olhar é papel do líder, mas ele também precisa ter esta nova perspectiva entre seus predicados.

Com isso, ganham todos: colaboradores, líderes, empresa e principalmente, os clientes. Sejam todos bem vindos ao mundo “Big Brother”.

Leia também o artigo: VOCÊ ESTÁ ACELERANDO OU FREANDO?

Alexandre Klein.

Consultor Associado do Grupo Scalco.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

: