Aprendendo a lidar com gente

Quando falamos em relacionamento, em convivência entre pessoas, em gente lidando com gente, precisamos lembrar que estamos falando de diferenças.

E sempre que há diferenças entre pessoas, haverá atritos, discordâncias, pequenas briguinhas.

É completamente impossível conviver com gente sem que todas essas coisas listadas acima aconteçam.

Portanto, é necessário pararmos de ficar esperando que o convívio com outras pessoas esteja isento de atritos e divergências.

Digo isso porque muitos de nós, na expectativa de que os relacionamentos sejam 100% harmoniosos, acabamos fazendo 2 coisas: nos afastamos das pessoas que mais confrontamos e não dizendo o que estamos pensando e sentindo.

ATENÇÃO!

Afastar-nos das pessoas que mais nos confrontamos, às vezes é necessário, mas às vezes, eu preciso seguir convivendo com quem tenho muitas convergências, pois essa pessoa pode ser um companheiro de trabalho ou até mesmo alguém da família, como a própria mãe e/ou pai.

Já o segundo comportamento é extremamente pernicioso, pois não falar o que estamos pensando e sentindo acaba nos ‘entupindo’ de receios e sentimentos, principalmente se a outra pessoa está nos fazendo “engolir sapos”.

Quando não falamos o que estamos pensando e sentimos, nefastas consequências se manifestam. Algumas através de doenças como: pressão alta, dor de garganta, urticária, úlcera nervosa, até câncer de garganta. A outra consequência se manifesta através da irritabilidade, ou seja, a falta de paciência com as pessoas.

Essa irritabilidade vem exatamente por não falar o que eu estamos pensando e/ou sentindo e passamos a querer que a outra pessoa ‘adivinhe’ o que nós gostaríamos que ela fizesse.

Por exemplo: eu gostaria que minha esposa escolhesse sempre o mesmo restaurante que eu quero almoçar. Eu queria que minha esposa escolhesse a mesma praia que eu gostaria de ir. E assim por diante.

Se é difícil para você entender a si próprio, imagina os outros.

Com isso vamos nos afastando das pessoas que amamos e nos entupindo de coisas (sentimentos) por não falar o que gostaríamos. Assim vamos nos afastando e as relações vão se esfriando.

Em cada tipo de relacionamento as reações são diferentes:

  • Amizades: Me afasto e corto o relacionamento
  • Relações familiares: Diminuo consideravelmente as ocasiões de visita
  • Colaboradores: Você demite (se ele é seu subordinado) ou muda de setor/empresa (se você é subordinado a ele)

Tudo por que fui guardando as minhas emoções.

Se tu és empresário, eu te garanto por experiência de anos como gestor e consultor de empresas: Os líderes falam muito menos do que deveriam ou gostariam.

Percebe que, para lidar com gente, eu preciso conversar, expressar, verbalizar, deixar que a pessoa com a qual eu estou convivendo saiba como o comportamento dela está me afetando. Isso mesmo, eu preciso deixar a pessoa saber como o comportamento dela está me deixando mal.

Nós temos a fantasia, a ilusão, a ingenuidade de achar que as pessoas sabem o restaurante que eu mais gosto, que as pessoas sabem o lugar que eu gosto de comer no almoço, que as pessoas sabem a temperatura que eu gosto do ar no carro, etc.

Certa vez uma pessoa viajou comigo de carro e passou frio a viagem inteira por não querer me incomodar. Ou seja, a pessoa preferiu passar frio durante 8 horas seguidas para não me incomodar, não ‘brigar’, não confrontar e ser chata comigo. E por isso sofreu,  por não dizer tudo o que estava pensando e sentindo.

Existe ainda um outro motivo além de todos os que já listei acima.  Algo mais delicado: a maioria das pessoas não suportam ouvir a verdade. E daí acabam atacando verbalmente, todas as vezes que ouvem a verdade.

Com isso, vamos nos aprisionando, pois falar a verdade para a outra pessoa faz com que ela se irrite e nos ataque .

Assim, as relações vão acabando, nós vamos nos enojando, esfriando e perdendo bons amigos e colaboradores, nos distanciando das pessoas que mais amamos, seja no casamento ou no meio familiar.

Tudo isso pelos motivos que listei acima. Mas muito disto é porque NÃO SABEMOS COMO DIZER O QUE PRECISA SER DITO.

Não sabemos expressar as nossas dificuldades, o nosso desconforto e a nossa discordância de modo que faça a outra pessoa ouvir de maneira mais fácil, de maneira mais receptível e amistosa o que eu estou compartilhando.

E aqui percebemos, mais uma vez, que a mudança para aprender a lidar com gente está em nós, pois nós necessitamos aprender a expressar nossos sentimentos e desejos para as outras pessoas.

Caso tu queiras entender quais seriam as 2 maneiras simples de conseguir falar melhor e assim se relacionar de forma mais tranquila com as pessoas, clica no link abaixo e lê o texto onde falo sobre as 2 dicas para dizer o que precisa ser dito de forma que a outra pessoa não se sinta ofendida, atacada ou julgada.

Confira:

  1. Meus amiguinhos, que legal! Já compartilhei esse post em todos os grupos que estou, as mulheres precisam muito ver essa maravilha! Parabéns pelo trabalho.

  2. Cíntia Alessandra de Oliveira disse:

    Olá pessoal!! Muito importante essas dicas do Marcel saber como dizer o que precisa ser dito, falar sem dar à margem pra discordância e também falar de como eu me sinto é sensacional, de certa forma a o grande segredo acredito que seja como nos expressamos a forma da linguagem que usamos. Faz muita diferença! Já estou aplicando no meu dia a dia e acredite funciona de verdade!! 👏👏👏

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *