Afinal, entregamos o que nossa empresa deseja?

62% é a média de execução que os colaboradores estão entregando quando o Grupo Scalco começa um trabalho com um cliente novo de consultoria. 

Algumas empresas mais e outras menos, mas a média é 62%. 

Ou seja, a empresa está perdendo 38% de sua força de trabalho. 

Se transformarmos isso em valores fica mais fácil de entender: 

Digamos que 01 filial possui 10 funcionários com a média salarial de R$ 2.000,00. Com uma perda de 38% é como se a empresa perdesse todo o mês em torno de R$ 7.600,00. 

Se a empresa tem 10 filiais então a perda fica em R$ 76.000,00. 

É uma conta oculta que as empresas não percebem.

Diante desse cenário, como aumentar esse nível de execução?

Como medir isso?

E se a empresa tivesse metas para elevar todo o mês o seu nível de execução?

É comum, dentro das organizações, falarmos de metas.

Existem metas de vendas, faturamento, custos, ebitda anual, entre outras. E está tudo bem.

O problema é que para conseguirmos atingir essas metas de vendas, por exemplo, nossos vendedores precisam vender mais.

Para vender mais é necessário que oferecer mais.

E no caso dos custos?

Para que nosso custo esteja abaixo da meta prevista é necessário que a área de Suprimentos compre com o melhor custo benefício à empresa.

Para tanto, é necessário mais pesquisas e mais desenvolvimento de fornecedores.

O que estou querendo dizer é que de nada adianta a empresa ter 235 metas dentro do seu planejamento estratégico se não entender que esse trabalho é diretamente proporcional a capacidade de execução operacional das pessoas.

Com o método G. A. P. – Gestão de Equipes para Alta Performance do Grupo Scalco, conseguimos elevar o nível de execução das equipes de 62% para em torno de 97% já nos primeiros meses.

O que fazemos aqui é entregar para as empresas ferramentas e métodos que permitem medir o nível de entrega de todos os colaboradores e a partir disso traçar um plano de ação para que cada um possa, a cada mês, entregar um pouco a mais.

É necessário, após o cliente conhecer a ferramenta e o método, que não coloque inicialmente uma meta para que todos os colaboradores no mês seguinte entreguem algo perto do 100%.

A ferramenta dirá o quanto cada um está entregando e por isso as metas podem ser traçadas individualmente.

Por exemplo: numa turma de 12 gerentes, vamos ter o 1º colocado com uma nota de 87% de entrega nas suas atividades.

Logicamente vamos ter o 12º colocado entre os gerentes com a nota 55% de entrega.

Neste exemplo, o mais prudente seria a gerente nº 1 ter uma meta de 90% e o gerente nº 12 ter uma meta para executar 65% de suas atividades no mês seguinte.

Se colocarmos uma meta de 90% para esse gerente que ficou em último lugar, ele vai se desmotivar no 1º mês e certamente não conseguirá atingir. É melhor, neste caso, mantermos um nível de crescimento mensal.

E como fazer para garantir que os vendedores ofereçam mais?

Como garantir que os atendentes digam a todos os clientes um bom dia com sorriso no rosto?

Como fazer para que todos façam uma pilha de produtos dentro da loja até às 9h da manhã para chamar a atenção dos clientes?

E como fazer tudo isso sem necessitar de que o Gestor esteja junto cobrando para que seja feito?

O método G. A. P. do Grupo Scalco permite que possamos monitorar para garantir a execução e medir para corrigirmos o que não estiver a contento.

Com isso, medimos, traçamos metas e monitoramos o nível de execução e engajamento de cada colaborador.

Lembra das metas que falei antes de vendas, faturamento, ebitda anual?

Naturalmente elas serão alcançadas pois o nível de execução operacional aumentou e o trabalho em uma empresa se dá através das pessoas porque TODOS SEMPRE PODEMOS AINDA MAIS, MUITO MAIS.

Lucas Ferreira Bidinoto.
Consultor Associado do Grupo Scalco.


  1. marilda ferreira bidinoto disse:

    Muito bom, e está muito claro parabéns.

  2. Felipe Pavan disse:

    Excelente artigo! Muitas vezes a solução está na própria equipe e nada como um método para tirarmos o melhor de cada um.

  3. Saionara Baptista disse:

    Excelente artigo. De fato quando temos metas definidas, acompanhadas e flexibilizadas as pessoas se motivam a cumprir e melhorar. O que vemos muitas vezes sao metas estipuladas somente para preencher gráficos e planilhas, sem eficácia alguma para a equipe. Parabens Lucas!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *