A real verdade sobre os pais

Se você tem algum problema no relacionamento com seus pais ou se não vê mais seus pais porque eles foram separados de você, por más atitudes ou pela morte, escuta o que tenho para te dizer.

Mesmo aquele homem aparentemente insensível, aquele que estava sempre alcoolizado, que causava um medo assustador, que era hostil com a sua mãe, não era o seu pai…eram as dores do seu pai.

Mesmo aquela mulher que foi ausente ou que exigia demais, que cobra demais, que nunca estava satisfeita com as suas notas na escola, que gritava pela casa que você tinha que ajudar nas tarefas domésticas, que não era afetuosa, não era a sua mãe. Eram as dores da sua mãe.

Nenhum pai ou mãe em sã consciência, que não estivesse dominado pela mente que mente, tem um interruptor para ligar e desligar essas atitudes.

Seu pai poderia não dominar o alcoolismo, assim como sua mãe não dominava o verbo. Mas e você? Não domina o que?

Mas você exige severamente, imperdoavelmente, inapelavelmente que eles não poderiam ter aqueles defeitos.

Enquanto você faz isso, acaba distorcendo a realidade, olhando apenas para o que eles não te deram. 

Esquece que eles te deram o mais importante: a sua vida. 

Esquece que a sua mãe te carregou na barriga. Correu o risco de morrer para que você pudesse nascer.

Esquece que eles te sustentaram como foi possível. 

Esquece que eles trocaram as suas fraldas.

Esquece que eles te deram milhares de mamadeiras e banhos.

Te colocaram compressas nas noites que você tinha febre. 

Escolheram a sua escola. 

Mesmo que seu pai tenha te dado só o espermatozoide, você esquece que se não fosse por ele você não teria a vida, não teria sua família e seus filhos agora.

Você julga e esquece que aquele homem e aquela mulher que se separaram queriam muito que tivesse dado certo.

Eles sonharam com todas as forças deles. Eles fantasiaram. Eles planejaram. Entraram felizes no casamento e se esforçaram, mas não foi possível. Se eles pudessem ter escolhido, tinham ficado juntos. Mas as dores deles eram maiores.

Sabia que quem se separou não foi o seu pai e a sua mãe? Quem se separou foi o marido e a mulher?

Porque seus pais estão unidos em você para o resto da sua vida, em cada célula do seu corpo e no fundo do seu coração.

E quando você esquece de tudo isso, acaba se desconectando das suas raízes.

Até hoje você pôde ter olhado apenas para o seu dodói, exigindo que seus pais não pudessem ter aquelas atitudes, esquecendo que seus pais também tiveram as dores deles, que eles te deram o que foi possível para eles naquele momento. 

Então lembra com muito carinho de tudo que foi possível.

Eles não conseguiam, assim como você não consegue muitas coisas que você quer, não consegue ir ao encontro dos seus desejos mais profundos, cuidar da sua saúde…

A alma dos seus pais carrega dores grandiosas e por isso eles não conseguiram fazer diferente. 

Se você pode fazer diferente, faça no agora, com os seus filhos. 

Forte e carinhoso abraço!

Sobre o autor:

Marcel Scalcko atua com desenvolvimento de pessoas há mais de 22 anos. Guiou mais de 50.000 pessoas para uma vida mais leve e realizadora.

Após construir uma vasta experiência no campo do desenvolvimento humano, observou e documentou as 9 Leis da Vida e transformou esse conhecimento em um treinamento imersivo e único no Brasil.

É especialista em técnicas e procedimentos de desenvolvimento psico-emocional, como as constelações familiares e empresariais, que procuram guiar pessoas e organizações ao seu máximo potencial.

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é telegram_horizontal-2.png
  1. Rosélia disse:

    Obrigada por me fazer entender somente agora e à tempo , as dores de meus pais; obrigada por me fazer perceber a importância deles na minha vida, sofri muito com ao longo de minha infância, mas agora ficou tudo bem claro. Agora vou tentar ser melhor de mim no meu relacionamento com os meus….obrigada

  2. Erionalda disse:

    Obrigada Marcel! Esse texto ressaltou ainda mais as minhas convicções a respeito dos meus pais. Eu entendia que a violência do meu pai para com a minha mãe, comigo e meus irmãos, era movida pelo álcool, não era ele! Eu sempre valorizei o que ele era sem a influência da bebida, mesmo que raramente o víssemos sóbrio.

  3. Cida oliver disse:

    Chorei muito, lendo tudo isso. Sou filha e mãe, e errei como filha e mais ainda como mãe.

  4. Sirlei Marafigo da Silva disse:

    Marcel me encaixo muito nesse texto, meu pai era exatamente assim, hoje ele não está mais aqui, minha mãe sofreu tudo que um ser humano poderia suportar, ela tbm já faleceu, e eu estou nesse mesmo sofrimento, muitas e muitas traições, 40 anos de casamento, agora estou num processo de separação, meus filhos mesmo adultos e independentes vejo que sofrem por tudo isso, é muito mais difícil e caro uma separação do que um casamento, mas o desrespeito é tanto que não consigo mais aceitar. Será que pode me ajudar? Obrigada

    1. Equipe Grupo Scalco disse:

      Oi querida! Conhece a Escola do Eu? Clique aqui para conhecer: https://escoladoeu.gruposcalco.com.br/login/cadastro Lá, você encontrará muito conteúdo rico que vai ajudá-la. Acompanhe o Marcel também no instagram: https://www.instagram.com/marcelscalcko/ E, depois, converse conosco se desejar conhecer as nossas imersões e mentorias do Marcel. Forte abraço!

    2. Equipe Grupo Scalco disse:

      Oi querida! Enviamos uma mensagem pra você!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

: