A Real Felicidade: O autoconhecimento pleno e o propósito de vida (parte 1).


Entro no assunto fazendo os seguintes questionamentos: 

Gostaria de fazer algo que acredita que nasceu para fazer? De descobrir o propósito de vida? De cumprir a missão de vida?

Então se coloque em movimento, faz o teu melhor, para de justificar a desmotivação que sente.

Todos nós temos 2 propósitos de vida. Para facilitar o entendimento, vamos chamá-los de: o propósito e a missão.

O propósito é aquele que nós, seres humanos, nascemos para fazer.
É alicerçado em uma das
leis da vida: “Vida é Servidão”.

Nascemos para servir à vida. Seja qual for a profissão que exercemos, ela está à serviço da vida. 

Se exerce a medicina, pensa que sai para curar doenças? Se é advogado(a), pensa que vai fazer petições? Se é professor(a) pensa que vai dar aula?

Em certo ponto isso é verdade. No entanto, é muito mais que isso, estamos à serviço da vida.

A vida fica melhor à medida que cada um de nós dá um pouco de si.

Exercemos uma profissão, cumprimos nosso propósito de vida e, como consequência, conseguimos o nosso sustento.

Para alcançar o propósito de vida, o primeiro passo é dar o melhor. O segundo passo é entender em que medida estamos à serviço da vida, de que modo o nosso trabalho facilita a vida das pessoas.

Esse é o propósito de qualquer ser humano.

Mas todos nascemos para fazer um trabalho especificamente. Nesse caso, é necessário chegar na missão de vida. 

Eu, particularmente, descobri a minha missão de vida: empreender no ramo de desenvolvimento humano, seja pelo intermédio de consultorias ou imersões e treinamentos.

Descobri fazendo o meu melhor no que eu fazia, advogando. Também realizei cursos de desenvolvimento humano (isso foi me dando uma expansão de consciência). 

Costumo dizer que nasci para ser amoroso, realizador, desfrutar a vida e guiar as pessoas ao seu máximo potencial, através de treinamentos e imersões.

Dedico-me, estudo, porque desejo arduamente, por intermédio da realização e da amorosidade, ajudar as pessoas a alcançarem o seu máximo potencial. A partir disso, eu posso desfrutar, curtir a vida. 

Mas observa algo muito importante: Não fique encarnado com a tua missão de vida. Realmente não é fácil chegar na missão de vida. 

Para esclarecer como é possível chegar na missão de vida, é necessário entender a sua conexão com o autoconhecimento (tema que exige uma outra postagem).

A real felicidade (exposta no título), no nosso conceito (pois cada um tem o seu), só vai chegar quando for feita uma longa jornada de autoconhecimento que vai culminar com a descoberta da missão de vida. 

Do contrário podemos ter muito dinheiro, uma família feliz, saúde, prosperidade, mas enquanto não descobrimos a missão aqui, a felicidade plena se encontrará mais afastada. 

Conseguimos descobrir a missão de vida se estivermos em movimento, fazendo algo, atuando. Ela não surge em um insight. 

Continue lendo no próximo post …

Sobre o autor:

Marcel Scalcko atua com desenvolvimento de pessoas há mais de 22 anos. Guiou mais de 50.000 pessoas para uma vida mais leve e realizadora.

Após construir uma vasta experiência no campo do desenvolvimento humano, observou e documentou as 9 Leis da Vida e transformou esse conhecimento em um treinamento imersivo e único no Brasil.

É especialista em técnicas e procedimentos de desenvolvimento psico-emocional, como as constelações familiares e empresariais, que procuram guiar pessoas e organizações ao seu máximo potencial.

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é telegram_horizontal-2.png
  1. Olga Robalo disse:

    Meu Grande problema hoje é saber como me *movimentar* para descobrir minha missão de vida!! Difícil não encarnar com isso Marcel!

  2. João Paulo Lopes sander disse:

    Bem seriamente ainda não sei minha missão de vida . Comecei em 2019 uma escalada do auto conhecimento , e percebi que tenho muito mais muito há me conhecer .

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *