A falsa síndrome do ninho vazio

Não existe síndrome do ninho vazio, isto é apenas uma fantasia, uma desculpa para não olhar a sua verdade. 

Se esta “síndrome” existisse, os pais ficariam felizes em ver seus filhos solteiros, fracassados e paralisados em casa, pois os filhos que ficam, que não “saem do ninho”, são aqueles que não casam, não têm filhos, não têm sucesso e muitas vezes acabam por adoecer.

São frutos agarrados na árvore…e o que resta a eles é apodrecer. 

O natural é a fruta, na hora certa, cair do pé.

Os filhos têm que ir…fundar sua família…sua árvore…sua vida.

Porém quando algo não está bem, alguns filhos ficam… sempre tem um filho que fica e atende o chamado da alma, pois sim, as almas conversam sem palavras, apenas com sentimentos e normalmente acontece com o filho mais novo.

Tenho observado muitas histórias de vida, na maioria mulheres, que possuem dores ligadas ao pai…porém, neste caso, a dor está ligada à mãe.

Através dos ressentimentos, julgamentos e críticas geradas na infância, as quais foram escondidas pela mente no decorrer da vida, criou-se uma promessa: “Serei uma mãe melhor”.

A árvore que se sente sem raiz agarra-se aos seus frutos, logo, o fruto não frutifica, fica nutrindo a árvore, e assim não prospera.

Ou seja, não existe síndrome do ninho vazio, o que existe é a síndrome de mãe sem pais.

E neste caso específico, o problema não é o apego ou a falta dos filhos…, mas sim a falta da mãe.

E mesmo quando a presença física não existe, necessitamos de conexão, pois nossa mãe e nós não somos um corpo, somos uma alma e, por vontade de Deus, ocupamos um corpo apenas para desfrutar, amadurecer…curtir a vida.

Nossas conexões com nossos pais não são físicas. Existem pessoas que vivem próximas dos seus e não se conectam e outros que desconhecem os seus e estão ligados. 

Com esse caso, percebe-se o quanto, por hábitos e inconsciência, esquecemos de olhar com amor para o outro, pois não foi observada a realidade de vida desta mãe, uma “mãe ursa”, que foi gerada em um ventre no qual nem se sabe o que sentiu, passou por muitas situações de vida, casou e manteve esta união, gerou 11 filhos, teve dores e medos, contudo, conseguiu liberar seus filhos para seguir e tomar suas vidas.

Agora, com consciência, é voltar ao colo…desculpar-se pela arrogância, observar sua insignificância e olhar com amor sua humanidade, permitir-se ser  tomada de volta, como pequena, por esta mãe e receber todo o amor possível para assim seguir e  liberar seus filhos, lembrando que a árvore não precisa dos seus frutos, mas sim da sua raiz.

Leia também: O SEU VERDADEIRO PROPÓSITO DE VIDA: VIDA É SERVIDÃO


Gostou do artigo?
Comente aqui.



Forte e carinhoso abraço!

Sobre o autor:

Ajuda pessoas viverem mais leve e realizar muito. É mentor há 24 anos. Já treinou mais de 110.000 pessoas. Descreveu as 9 Leis da Vida. Há mais de 30 anos estuda com os melhores mentores e treinadores do Brasil, Alemanha e Estados Unidos.

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é telegram_horizontal-2.png
  1. Viviane Cristina disse:

    Adorei entender sobre a síndrome do ninho vazio. E ver que árvore não precisa dos seus frutos e sim da sua própria raiz, e que as mães precisam mesmo com dor liberar seus filhos para seguirem suas vidas.

    1. Equipe Grupo Scalco disse:

      lindo!!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

: