A comunicação e o retrabalho

Em minha atuação como consultor, muitas vezes me deparei com gestores que diziam algo como: “eu já falei mil vezes para meus colaboradores o que eles têm que fazer e eles não fazem”. 

Será que falar o que tem que ser feito é suficiente?

É claro que não, porque isto é apenas uma parte do processo de comunicação e que é complementado por “como fazer” e deveria ser complementado também por “porque” fazer.

Os gestores sempre dizem “o que fazer”, muitas vezes dizem “como fazer” e raramente dizem “porque fazer”.

E é justamente o “porque fazer” que dará total clareza e entendimento da mensagem e assegurará que a mensagem foi recebida e compreendida. E poucos gestores sabem disso, ou percebem isso no seu dia a dia.

E essa dificuldade dos gestores em dizer “porque fazer” passa muitas vezes pelo fato de eles acharem que seus colaboradores têm o dever de entender como se estivessem no mesmo patamar de entendimento e cognição que ele, gerente, pois inclusive a recepção de mensagem, cada um receberá de acordo com o seu histórico de vida, meio ambiente em que se desenvolveu e outros aspectos mais.

Male employee using means of modern communication

Uma comunicação eficaz na primeira oportunidade evitará não apenas retrabalho, mas também é um inibidor de conflitos e mal entendidos, e isto tudo, no fim das contas, converge em produtividade e resultados.

Leia também o artigo do Diretor de Consultoria do Grupo Scalco Luiz Nunes: O PODER DO COMPARTILHAR INFORMAÇÕES

Alexandre Klein.
Consultor Associado do Grupo Scalco.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *